Impostos: Mais-valias da PT baixavam défice

Os comunistas fizeram as contas e se a Portugal Telecom pagasse impostos sobre as mais-valias pela venda da brasileira Vivo à espanhola Telefónica seria possível a descida de um ponto percentual no défice público. Quem o disse foi o deputado Agostinho Lopes, que condenou a “fuga ao Fisco” provocada pelos “buracos na legislação.”

“A aplicação da taxa à mais-valia efectuada pela PT, os seis mil milhões de euros, permitiria obter qualquer coisa como 1290 milhões de euros, ou seja, o Estado podia, por esta via, descer o défice em um ponto percentual, de 9,2 por cento para cerca de 8,3 por cento”, afirmou o deputado.

O PCP volta, por isso, a desafiar o Governo a usar a golden share que tem na PT, liderada por Zeinal Bava, para que “este dividendo extraordinário seja aplicado fundamentalmente em investimentos no território nacional e na amortização da dívida da empresa”.

Já a Associação de Investidores e Analistas Técnicos do Mercado de Capitais (ATM) critica, em comunicado, a intervenção do Governo no processo de venda da Vivo, acusando o Executivo de ter pressionado a entrada da PT na Oi a um preço elevado”.

4 AGOSTO 2010 (CM)