Pela luta, derrotar as alterações ao código de trabalho

Anúncios

A hipocrisia dos Alemães


O Lidl aplicando a táctica de fazer desconto em produtos, no qual o preço original é por eles estipulado, táctica essa que já tem “teias de aranha”;

Atendendo que a publicidade deste suposto desconto leva as pessoas a deslocarem-se a esse supermercado, comprando o produto em causa assim como outros produtos diversos. A pessoa que já foi mentalizada para o “baixo” preço de um determinado produto, na maioria dos casos, já não está com a verdadeira consciência do que está a comprar e qual o preço.

Mas o essencial da questão não está neste aspecto…

O Lidl com a desculpa, da “pena” (acho que eles também vendem galinhas) que têm do corte que os trabalhadores vão sofrer no subsidio de natal, dizem que vão fazer descontos proporcionais, em alguns produtos, a esse corte.

Que hipocrisia…

Antes de mais a publicidade que a comunicação social deu a estes supermercados, custa mais de 100 vezes do que os supostos descontos;

O Lidl trata os seus trabalhadores como criados para todo o serviço, e quando querem.

Obrigam os trabalhadores a levantar com os seus bracinhos, litros e litros de agua para cima dos tapetes das caixas; Pois é obrigatório que toda a mercadoria seja posta no tapete, de forma cega e muda, mesmo que dentro dos carros estejam 50 garrafões (iguais) de 5 litros agua. Como o cliente não tem que se sujeitar a esta regra estúpida, lá vai a rapariga da caixa transportar 250 quilos.

E como quem implementou esta regra, foi alguém que é bem pago pelo Lidl para sujeitar os outros à escravidão, essa regra é impreterível.

Em relação aos trabalhadores do Lidl, podem-se contar pelos dedos das mãos o número de trabalhadores que possuem contrato sem termo, essa contagem não é por loja é por Distrito.

Quanto ao salário, nem precisa do corte dos 50% para ser miserável; Os trabalhadores não estão classificados, nem recebem o equivalente ao que o seu CCT estipula para as suas funções. Mas as funções também são duvidosas, pois ao abrigo da polivalência estes trabalhadores tanto estão nas caixas de pagamento, a repor artigos, a carregar mercadoria e a fazer a limpeza.

Assim qual é o problema de pagarem, à maioria, como de trabalhadores de limpeza se tratassem?

Isto é tal como acontece em certas casas;

O marido bate e maltrata a esposa e os filhos, sai para fora de casa e é só sorrisos e beijinhos com as mulheres dos outros e os filhos dos outros…

A Ironia é que este grupo vem tentar passar uma mensagem de “pena” dos trabalhadores, quando este grupo pertence a um País que é um dos verdadeiros culpados pela situação actual. Aliás são os verdadeiros patrões da troika e companhia.

Pais que tem-se sustentado à conta da miséria dos outros, são uns verdadeiros parasitas…

Paulo Portas é um verdadeiro vendedor da banha da cobra…

Ele critica, fala o que o povo gosta de ouvir… mas não diz o que pretende.
O Povo que considera-se muito bem informado, mesmo que não perceba o que ele fala, retém as palavras chavões e já sentem-se de barriga cheia com a inteligência desse senhor.
Nisso têm razão, ele tem inteligência para comer o povo por parvo…
Para os mais esquecidos o CDS, e nem foi outro diferente do Paulo Portas, já teve no governo e além de encher o pandulho de tachos que agora critica, pouco mais fez.
Até fez…
Andou a prometer aos inválidos das Forças Armadas, que estiveram no Ultramar, que lhes ia atribuir pensões que respeitassem o dever de Portugal para com eles; E fez, meteu no papel mas tudo ficou por pagar, outros tiveram direito a menos de uns míseros euros.
É este tipo de promessas que na altura de concretizar, foge com o rabo e bem escondidinho..
É o caso dos submarinos, que estão a ajudar na contabilização da divida pública, e não é pouco… em quatro anos em que esteve no governo, conseguiu deixar uma divida para muitas dezenas de anos.
O CDS fala muito nos tachos dos outros, esquece-se é dos tachos deles…
Quem não se lembra da Celeste Cardona, ministra da justiça (indicada pelo CDS de Paulo Portas)?
Aquela que conseguiu dar cabo, ainda mais, da justiça… que conseguiu aumentar o preço da despesa necessária para quem precisa recorrer à justiça. Foi aquela da reforma da justiça que criou muito trabalho para os solicitadores de execução, mas que são pagos por quem precisa de recorrer à justiça, e se não tem dinheiro não tem direito à Justiça.
Pois esta Sra quando saiu do governo foi direitinha para Administradora da Caixa Geral de Depósitos.
Mas estes tachos já não interessa, interessa sim, enganar o Povo…
O Sr Paulo Portas fala que é preciso arranjar trabalho… o que ele não diz é que é preciso trabalho com direitos…
Pois os interesses que ele representa também defendem o trabalho… mas ao abrigo da escravidão.
E o seu ministro Bagão Felix foi um dos que alterou o Código de Trabalho para tirar direitos aos trabalhadores, ou o Povo
já não se lembra?
Também foi este ministro, muito católico diga-se em abono da verdade, do CDS que deu cabo dos certificados de aforros, algo que é financiamento directo para o estado… Deu cabo dos certificados, para impulsionar o Povo a levantar o seu dinheiro investido nos certificados e ir investir em PPRs e noutros produtos do sector financeiro (tão amigos que eles são).
Quem ficou a perder? O Estado, que somos todos nós…
E não se esqueçam que o CDS e ele durante estes anos têm pactuado e sido favorecidos com a governação do Pais.
Os interesses que ele representa, são os tais que são favorecidos com todos os gastos que o estado tem para com as instituições ligadas à Igreja, que com o fim de darem esmola… enchem os bolsos a muitos interesses instalados nessas instituições.
Isto porque não querem que seja o estado a coordenar os serviços sociais, que caso fosse gastavam menos e ajudavam muito mais… havia menos bolsos para encherem.
Os desempregados também não se esqueçam que este Sr é o que defende, e apoiou, o fim dos subsídios de empregos.
E para enganar o Povo diz que é para acabar com os calões, o que ele não diz é que pretendem que os trabalhadores trabalhem a preço de saldo, de forma a garantir maiores lucros aos seus amigos.
Sendo que querem que os trabalhadores aceitem tudo, mesmo que não ganhem para pagarem os transportes e alimentarem-se.
Como o abono de família, quem o tinha era rico por isso é que apoiaram e incentivaram que acabassem, quase totalmente, com este abono… abono que a muita gente dava muito jeito…
Quanto ao discurso da Segurança, ele não pretende que todos os Ladrões e criminosos sejam alvos de justiça, poi podia calhar a ele e aos amigos… quer que o sistema continue a criar miséria, e que aja “justiça” para aqueles que vão roubar uma maça para comer.
Ou já se esqueceram dos negocios em que estão metidos Nobre Guedes, Telmo Correia e Costa Neves (todos do CDS)?
Essa justiça, para ele, deve ser uma justiça do tempo de Salazar… em que quem diga bem do regime anda livremente, e que afronte o regime e a miséria imposta ao Povo seja alvo de perseguição e violência policial.
O que este Sr. quer é que os ricos fiquem mais ricos, e os pobres que se calem…
Já no tempo do fascismo… muito do Povo seguia os ideais do regime, para que pudessem ter umas migalhas… quanto ao que acontecia aos outros, isso não interessava…
Convêm não esquecer que foi com este tipo de actos e atitudes que Hitler chegou ao poder…

UGT saúda aprovação do Código do Trabalho

O trabalhador está constantemente a ser massacrado, e para isso os senhores do poder usam os meios legais e ilegais que têm à sua disposição.

Quanto aos legais, não deixam de ser imorais…

Para a aprovação do código de trabalho o PS, PSD e CDS contaram com o apoio da UGT e uma dedicação excepcional do seu secretário-geral, João Proença.

Aos trabalhadores portugueses…

Na medida que vão perdendo os seus direitos, lembrem-se a quem devem agradecer…
Aqueles que vêm os seus contratos colectivos serem caducados, lembrem-se a quem devem agradecer…
Cada vez que vejam os vossos amigos e os vossos familiares a regressarem de uma entrevista para um emprego, onde a melhor proposta foi precariedade e exploração, lembrem-se a quem devem agradecer…

Aos tolos…

Lembre-se que os direitos que estamos a perder não foram oferecidos pelos bonzinhos dos patrões… esses direitos foram conquistados com muito sangue, suor e lágrimas…
Para termos direitos, muitos perderam a sua família e a sua própria vida…

…..
Temos um código de trabalho que foi aprovada, na generalidade, com os votos favoráveis do PS, abstenções do PSD e CDS-PP.
Votaram contra a aprovação do código de trabalho o PCP, BE e “Os Verdes”, assim como, a deputada independente Luísa Mesquita, e os socialistas Manuel Alegre, Teresa Portugal, Júlia Caré e Eugénia Alho.