A avaliação do desempenho

O dono de um talho foi surpreendido pela entrada de um cão dentro da loja.

Ele enxotou-o mas o cão voltou logo de seguida.

Novamente ele tentou espantá-lo mas reparou que o cão trazia um bilhete na boca.

Ele pegou o bilhete e leu:

– Pode mandar-me 12 salsichas e uma perna de carneiro, por favor?

O cão trazia também dinheiro na boca, uma nota de 50 euros.

Ele pegou no dinheiro, pôs as salsichas e a perna de carneiro num saco e colocou-o na boca do cão.

O talhante ficou realmente impressionado. Como já estava na hora, decidiu fechar a loja e seguir o cão.

Este começou a descer a rua e quando chegou ao cruzamento depositou o saco no chão, pulou e carregou no botão para o sinal ficar verde.

Atravessou a rua e caminhou até uma paragem de autocarro, sempre com o talhante a segui-lo.

Esperou pacientemente com o saco na boca que o sinal fechasse e pudesse atravessar.

Na paragem, o cão olhou para o painel dos horários e sentou-se no banco, esperando o autocarro.

Quando um autocarro chegou, o cão foi até à frente para conferir o número e voltou para o seu lugar.

Outro autocarro chegou e ele tornou a olhar, viu que aquele era o número certo e entrou.

O talhante, boquiaberto, seguiu o cão. Mais adiante o cão levantou-se, ficou em pé nas duas patas traseiras e carregou no botão para mandar parar o autocarro, tudo isso com as compras ainda na boca.

O talhante e o cão foram caminhando pela rua quando o cão parou à porta de uma casa e pôs as compras no passeio.

Então virou-se um pouco, correu e atirou-se contra a porta. Tornou a fazer o mesmo mas ninguém respondeu.

Então contornou a casa, pulou um muro baixo, foi até à janela e começou a bater com a cabeça no vidro várias vezes.

Caminhou de volta para a porta e, de repente, um tipo enorme abriu a porta e começou a espancar o bicho.

O talhante correu até ao homem e impediu-o dizendo:

“Deus do céu homem, o que é que você está a fazer? O seu cão é um génio!”

O homem respondeu:

“Um génio??? Esta já é a segunda vez, esta semana, que este cão estúpido se esquece da chave!”.

Moral da história ??

Podes continuar a exceder as expectativas, mas… a tua avaliação depende sempre da competência de quem avalia

Anúncios

Avaliação dos Professores…

Hoje de manhã, enquanto estava a trabalhar, estive a ouvir na rádio o fórum da TSF. O tema era a avaliação dos professores.

Tive a oportunidade de ouvir as teorias filosóficas mais aberrantes, que alguma vez pensei ouvir, mas compreendo.

Das teorias debitadas por pessoas “iluminadas” destaco:

O marido de uma professora de físico química, que por acaso também tinha a mesma licenciatura, começou por elogiar a mulher, o que até acho bem…

A mulher dele já tinha tirado e continuava a tirar vários mestrados e doutoramentos, e era uma pessoa muito inteligente, o único problema era que tinha de conviver diariamente com colegas “burras” e “analfabetas” (eram quase todas, penso que só se safavam as amigas, e mesmo assim…) algumas que tiraram o curso no Piaget. Ela é tão inteligente, que era avaliadora e muito boa avaliadora… segundo as palavras do marido.

Segundo este Sr. Licenciado, esposo de uma mulher Dra, acabar com esta avaliação era uma grande estupidez, pois esta avaliação avaliava e bem os professores…

Ao ouvir este discurso, fiquei com algumas duvidas…

A esposa deste Sr. Licenciado, que tirou e continuava a tirar mestrados e doutoramentos atrás de mestrados e doutoramentos, tem tempo para dar aulas?

Ou é daquelas que defende este sistema para não perder os seus privilégios?

Ou é uma daquelas Directoras que segue a filosofia de que é Directora para receber o ordenado, subsídios e dar ordens para os outros trabalhar?

Será que por ser tão intelectual, é daquelas que avalia os colegas mediante a vassalagem que lhe prestam?

Quem defende este tipo de avaliação é porque ganha com ela, e não é pela sua competência… mas pelos seus padrinhos e madrinhas… Quanto ao respeito pelos colegas, e tendo em atenção o que o marido diz (conversa de caserna) … não deve ter, deve-se sentir única e iluminada…

Outra das teorias era a de uma psicóloga…

Dizia que os professores, não queriam ser avaliados, por nenhuma avaliação… e que ela até tinha tido acesso em “primeira mão” ao projecto da avaliação e que era muito bom…

Devo concordar com ela, é óptimo para lhe fornecer pacientes, mas com os cortes nos ordenados e com aqueles professores que gastam mais para ir trabalhar, do que o ordenado que recebem… corre o risco de ter clientes com grandes calotes…

Pobre miséria…

Uma avaliação deve avaliar a competência, seriedade e conhecimentos… e este tipo de avaliação, para ser justa tem que ser feita por quem sabe e tem consciência do que realmente deve ser o ensino…

Condenar a quebra deste dito acordo, é não saber do que fala… é não saber os pressupostos em que estava elaborado tal acordo, pressupostos esses que foram “roubados à má fila” por este governo.

Quem tem consciência, sabe o que um verdadeiro professor sofre, diariamente, na escola e em casa, sim que para um professor a sua própria casa faz parte do seu trabalho…

E se não acreditam nos professores, perguntem às suas mulheres e maridos…

Avaliadora avaliada

2008-12-29

Porque a realidade excede os meus dotes ficcionais, esta Ficha de Avaliação da Doutora Maria de Lurdes Rodrigues, Ministra da Educação, assenta nos critérios seguidos pelo seu Ministério incluindo, a terminologia usada na avaliação de docentes, o número de alíneas e a bitola de classificação.

Níveis de Pontuação: Mínimo 3, máximo 10.

A – Preparação e execução de actividades.

A – 1 Correcção científico-pedagógica e didáctica da planificação.

Classificação obtida – Nível 3

(Não efectuou as reformas previstas no Programa do Governo por falta de trabalho preparatório. As cenas de pugilato, luta greco-romana e intimidação por arma de fogo simulada nas áreas que lhe foram confiadas vão originar um aumento significativo da despesa pública com a contratação à Blackwater (por ajuste directo) de um mercenário israelita por cada sala de aula e dois nas salas dependentes da DREN).

A – 2 Adequação de estratégias.

Classificação obtida – Nível 3

(Não definiu linhas de rumo nem planos de acção que permitissem concretizar a missão delineada, usando como benchmarking nacional os parâmetros seguidos no sistema educativo da Faixa de Gaza.)

A – 3 Adaptação da planificação e das estratégias.

Classificação obtida – Nível 3

(Não obteve eficácia aferível em três anos de actividade, consumindo no processo a maior parcela de verba pública atribuída a um Ministério. Insistiu em manter o organograma dos seus serviços (em particular da DREN) inspirado no modelo das Tentações de Santo Antão de Jeronimus Bosh).

A – 4 Diversidade, adequação e correcção científico-pedagógica das metodologias e recursos utilizados.

Classificação obtida – Nível 3

(A observação empírica dos resultados é indiciária de um inadequado e/ou incorrecto aproveitamento de recursos disponibilizados em sucessivos Orçamentos de Estado em tal monta que fazem o BPP parecer uma operação rentável. Adicionalmente, o seu Ministério atingiu tal desordem que faz a Assembleia Geral do Benfica parecer um retiro de monges Cartuxos).

B – Realização de actividades.

Classificação obtida – Nível 3

(A avaliação conclui que à incapacidade da avaliada na “promoção de clima favorável” se junta a insuficiência de valências de conhecimentos gerais essenciais, como o atesta a confusão que fez a 23 de Junho de 2005 pp. em entrevista televisionada, falhando na distinção entre “República” e “Governo da República”. Isto deu novas dimensões ao Estatuto da Autonomia dos Açores e inspirou o Chefe do Estado a crescentes afrontas à vontade do Parlamento com graves e desgastantes consequências para o executivo.

Nas secções C e D da Ficha de Avaliação do Ministério da Educação, nos quatro subgrupos, a avaliada obteve oito classificações de Nível 3, pelo que, feita a média aritmética dos dezasseis parâmetros cotados lhe é atribuída a classificação geral de Insuficiente. Recomenda-se que sejam propostas à Doutora Maria de Lurdes Rodrigues as seguintes opções: integrar o quadro de mobilidade especial até colocação em Baucau; frequentar um curso das Novas Oportunidades e/ou filiar-se no Movimento Esperança Portugal; aceitar o 12º lugar na lista de espera para o próximo Conselho de Administração da FLAD; frequentar o curso de formação do INA – Limites da Autonomia Regional; ser animadora de As Tardes de Maria de Lurdes na RTP África; integrar a quota ainda disponível para antigos executivos socialistas na Mota Engil, Iberdrola ou BCP.

Pois é… há que evoluir e incentivar os alunos…

Como?

Fica aqui um exemplo de como deve evoluir o ensino, e deixem-se lá de tretas…
Os Americanos também são burros como tudo, sem cultura, sem inteligência… mas cada vez mais estamos num mundo de espertos, logo, para quê a inteligência…
para cultura basta saber que existem hambúrgueres… e como disparar uma arma… e claro, serem obedientes e cegos…
VAMOS MAS É TRABALHAR PARA AS ESTATISTICAS…

Rumores vindos do interior do PS

Dia 23 de Janeiro será aprovada, finalmente, a SUSPENSÃO DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE. Há professores socialistas que vão romper com a disciplina partidária. As últimas investidas aos mails dos professores, agora deputados, está a dar frutos. Muitos deles já têm dificuldade em enfrentar até a própria família.

A insistência dos professores está a dar resultado e a greve do dia 19 é absolutamente determinante. A ministra já está “morta” e agora só falta mesmo um empurrãozinho para todo o ME cair.

Haja esperança!


São notícias que vão chegando das sedes do PS a nível nacional. Fala-se, inclusivamente, que se preparam para o Governo pedir a demissão. Falta o motivo e este parece ser aquele em que Sócrates aposta e vai daí…

Meninos! O país está a saldo. É fartar vilanagem!

Ora aí está o que alguns boys e girls for the job estavam à espera. Um bónusinho pelo bom comportamento e pela esperança de poder mandar, mas com um pequeno contributo do Estado.

Para aqueles para quem ainda restavam dúvidas, o governo decidiu abrir os cordões à bolsa, a meses de começarem a ir a votos. E para que a sangria não seja muito grande, que tal antecipar eleições não vá a contestação social que se adivinha começar a deixar marcas na governação, limitar a margem de manobra e, quem sabe, até, tirar uns preciosos votos para perpetuar o clã à frente dos destinos do país, ainda por cima caros, pois é preciso dar uma imagem… porreira, pá!

Avaliação do Desempenho

Ainda ontem espetavam o dedo acusador na direcção dos que contestavam A INAPLICABILIDADE das medidas, para que, apesar de insistirem no erro, deixarem passar no crivo quem nem dele precisa. Veja-se os professores a três anos de se aposentarem isentados de avaliação. Para estes a avaliação não serve para nada, como é óbvio: se tiverem insuficiente agora teriam de ter confirmado o insuficiente para verem os seus efeitos. Ora isso só aconteceria em 2011, o ano em que se aposentam. ESPERTEZA SALOIA!!