Incrível escultura representando Nelson Mandela

Consiste em 50 placas de aço com 10 metros de altura, cortadas a laser e inseridas na paisagem, representando o 50.º aniversário da captura e prisão de Nelson Mandela, em 6 de agosto de 1962, no próprio local onde tal sucedeu, e que lhe custaria 27 longos anos de cárcere.


Num ângulo específico de observação, a visão em perspetiva das colunas surpreende ao assumir a imagem de Nelson Mandela. O escultor é Marco Cianfanelli, de Joanesburgo, que estudou belas-artes em Wits. 



Anúncios

"tromp oeil"

“tromp oeil” é uma palavra francesa que significa enganar a vista.

É uma técnica de pintura em que se usa muito a perspectiva procurando criar um efeito de realismo. Se for bem feita muitas vezes a imagem pintada passa como real adquirindo a terceira dimensão, mas é só pintura numa tela plana.

Se procurarem imagens na Internet, há muitos exemplos de Tromp l’Oeil.

Em várias cidades os arquitectos e os artistas juntaram-se para fazer esses painéis com resultados impressionantes. Paris tem muitos. Um muro feio ou a lateral de um edifício podem adquirir “vida real” pela simples pintura.

 Muitas vezes olha-se para um prédio em Paris, vê-se pessoas nas janelas e passamos sem perceber, de tal maneira, que tudo aquilo está integrado na paisagem. É tudo pintura feita para enganar. Sentimo-nos
melhor sem perceber!

Os murais de Sherbrooke, em França, são belíssimos exemplos.

Fantastico ….

Há uma dança impressionante, chamada de “As Mil Mãos-Guanyin”.
Considerando a grande coordenação que é necessária, a sua realização não deixa de ser surpreendente, mais ainda porque todas as bailarinas são surdas. Sim, é verdade. Todas as 21 bailarinas são completamente surdo-mudas.
Baseando-se sómente nos sinais dos formadores nas quatro esquinas do cenário, estas extraordinárias bailarinas oferecem um grande espectáculo visual. O seu primeiro grande “début” internacional foi em Atenas na cerimónia de encerramento dos Jogos Paralímpicos de 2004, mas tem estado desde há muito tempo no repertório da “Chinese Disabled People’s Performing Art” e já viajou a mais de 40 países.

A sua primeira bailarina, Tai Lihua, tem 29 anos de idade e possui um BA pelo Instituto de Belas Artes de Hubei. O vídeo foi gravado em Pequim durante o Festival da Primavera deste ano.