CIA ajudou a matar dezenas de líderes das FARC

por Lusa, publicado por Ana Meireles

A Agência de Informação norte-americana (CIA) ajudou o exército colombiano a matar pelo menos duas dezenas de líderes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) mediante um programa secreto, revela hoje o diário Washington Post.

O jornal indica que o plano contra as FARC, uma organização de guerrilha que se encontra num momento vulnerável e que atua há décadas na Colômbia, foi autorizado pelo Presidente norte-americano George W. Bush em 2000.

Este programa conjunto continuou a ser executado depois com o Presidente Barack Obama, segundo fontes militares norte-americanas, dos serviços de informação e diplomáticas citadas pelo jornal.

A ajuda secreta para combater as FARC contou com um “orçamento milionário, de acordo com as mesmas fontes e o programa destinava-se a “seguir em tempo real” os dirigentes da guerrilha, o que se tornou “a partir de 2006 uma ferramenta particularmente eficaz para os matar”.

No plano, foram usadas bombas inteligentes guiadas por um sistema de geolocalização GPS “capazes de matar uma pessoa na selva” depois de estabelecer uma localização exata.

O Washington Post cita o exemplo do caso ocorrido em março de 2008 em que a Força Aérea colombiana lançou, com a ajuda dos Estados Unidos, bombas inteligentes através da fronteira com o Equador para matar o dirigente das FARC Raúl Reyes, então o “número dois” da guerrilha.