Dicionário de sindicalismo

Numa cantiga de José Barata-Moura ouve-se, em certa altura, falar da MADISCA.

Para quem nunca ouviu, ou não se lembra, do que foi a MADISCA um artigo recente do Anselmo Dias que foi presidente do Sindicato dos Bancários explica. Se não parece bem, embora também não seja preocupante, um deputado não saber, pelo menos os nomes, dos primeiros-ministros imediatamente antes e depois do 25 de Abril, também não é muito bonito um sindicalista não saber o que a  MADISCA. 

Vá lá, ouçam a cantiga e leiam o artigo. Não perguntem ao proença porque ele só tem tempo para combater o governo.





Anúncios

Aluguer de um prato vazio custa 1,50€


Se tiverem a gentileza de ver com algum detalhe o talão que se encontra na imagem, será contada de seguida uma real e triste anedota sobre o mesmo… passada com uma família numa confeitaria…

Do alto da sua preocupação e gentileza para com a sua filha, uma senhora na sua desempregada filha, para a animar, levou-a num passeio pela Baixa portuense com o seu neto.
Chegada a hora, eis que a família entra numa das mais prestigiadas e conhecidas confeitarias da belíssima zona da Invicta.

Como é óbvio, não comendo o mesmo que um adulto, o miudo de quase 3 anos come do prato dos pais… a mãe, com inocência, pede ao empregado um prato e uma colher para colocar em tal objecto de cerâmica um pedaço para tirar a fome do petiz.

Chega a conta… olha-se, discute-se sempre o preço das coisas mas este talão traz uma novidade que se estranha: «1 Prato adicional: 1,50€»! Como a avo e a mãe do miúdo ainda não tinham endoidecido, perguntam quem consumiu tal prato adicional… a resposta: «Minha senhora, pois… corresponde ao prato que pediu para colocar um bocado do seu bacalhau para o menino»!!

Foi aprovada reforma aos 50 anos com 9.000 euros por mês para os funcionários da UE

QUE MUNDO HIPÓCRITA !!!
Já reparou? Os políticos europeus estão a lutar como loucos para entrar na administração da UE! 
E por quê?
Leia  o que segue, pense bem e converse com os amigos. 
Foi aprovada a aposentadoria aos 50 anos com 9.000 euros por mês para os funcionários da EU!!!. Este ano, 340 agentes partem para a reforma antecipada aos 50 anos com uma pensão de 9.000 euros por mês.
Sim, leu correctamente!
Para facilitar a integração de novos funcionários dos novos Estados-Membros da UE (Polónia, Malta, países da Europa Oriental …), os funcionários dos países membros antigos (Bélgica, França, Alemanha ..) receberão da Europa uma prenda de ouro para se aposentar.
Porquê e quem paga isto?
Você e eu estamos a trabalhar ou trabalhámos para uma pensão de miséria, enquanto que aqueles que votam as leis se atribuem presentes de ouro. A diferença tornou-se muito grande entre o povo e os “Deuses do Olimpo!”
Devemos reagir por todos os meios ….
Os tecnocratas europeus usufruem de verdadeiras reformas de nababos … Mesmo os deputados nacionais que, no entanto, beneficiam do “Rolls” dos regimes especiais, não recebem um terço daquilo que eles embolsam.
Vejamos! Giovanni Buttarelli, que ocupa o cargo de Supervisor Adjunto da Protecção de Dados, adquire depois de apenas 1 ano e 11 meses de serviço (em Novembro 2010), uma reforma de 1 515 ? / mês. O equivalente daquilo que recebe em média, um assalariado francês do sector privado após uma carreira completa (40 anos)..
O seu colega, Peter Hustinx acaba de ver o seu contrato de cinco anos renovado.  Após 10 anos, ele terá direito a cerca de ? 9 000 de pensão por mês.
É simples, ninguém lhes pede contas e eles decidiram aproveitar ao máximo. É como se para a sua reforma, lhes fosse passado um cheque em branco.
Além disso, muitos outros tecnocratas gozam desse privilégio:
1. Roger Grass, Secretário do Tribunal Europeu de Justiça, receberá ? 12 500 por mês de pensão.
2. Pernilla Lindh, o juiz do Tribunal de Primeira Instância, ? 12 900 por mês.
3. Damaso Ruiz-Jarabo Colomer, advogado-geral, 14 000 ? / mês.
… 
Para eles, é o jackpot. No cargo desde meados dos anos 1990, têm a certeza de validar uma carreira completa e, portanto, de obter o máximo: 70% do último salário. É difícil de acreditar … Não só as suas pensões atingem os limites, mas basta-lhes apenas 15 anos e meio para validar uma carreira completa, enquanto para você, como para mim, é preciso matar-se com trabalho durante 40 anos, e em breve 41 anos.
Confrontados com o colapso dos nossos sistemas de pensões, os tecnocratas de Bruxelas recomendam o alongamento das carreiras: 37,5 anos, 40 anos, 41 anos (em 2012), 42 anos  (em 2020), etc. Mas para eles, não há problema, a taxa plena é 15,5 anos… De quem estamos falando?
Originalmente, estas reformas de nababos eram reservadas para os membros da Comissão Europeia e, ao longo dos anos, têm também sido concedida a outros funcionários. Agora eles já são um exército inteiro a beneficiar delas:: juízes, magistrados, secretários, supervisores, mediadores, etc.
Mas o pior ainda, neste caso, é que eles nem sequer descontam para a sua grande reforma. Nem um cêntimo de euro, tudo é à custa do contribuinte … Nós, contribuímos toda a nossa vida e, ao menor atraso no pagamento, é a sanção: avisos, multas, etc. Sem a mínima piedade. Eles, isentaram-se totalmente disso. Parece que se está a delirar!
Esteja ciente, que até mesmo os juízes do Tribunal de Contas Europeu que, portanto, é suposto « verificarem se as despesas da UE são legais, feitas pelo menor custo e para o fim a que são destinadas », beneficiam do sistema e não pagam as quotas. E que dizer de todos os tecnocratas que não perdem nenhuma oportunidade de armarem em «gendarmes de Bruxelas» e continuam a dar lições de ortodoxia fiscal, quando têm ambas as mãos, até os cotovelos, no pote da compota?
Numa altura em que o futuro das nossas pensões está seriamente comprometido pela violência da crise económica e da brutalidade do choque demográfico, os funcionários europeus beneficiam, à nossa custa, da pensão de 12 500 a 14 000 ? / mês após somente 15 anos de carreira, mesmo sem pagarem quotizações… É uma pura provocação!
O objectivo é alertar todos os cidadãos dos Estados-Membros da União Europeia. Juntos, podemos criar uma verdadeira onda de pressão.
Não há dúvida de que os tecnocratas europeus continuam a gozar à nossa custa e com total impunidade, essas pensões. Nós temos que levá-los a colocar os pés na terra.
«Sauvegarde Retraites» realizou um estudo rigoroso e muito documentado que prova por  “A + B” a dimensão do escândalo. Já foi aproveitado pelos media.

Como explicar "a gravidez" a uma criança do séc XXI…

As abelhas, as flores, uma sementinha, a cegonha, Paris, tudo isto já está fora de moda.

Esta é a explicação moderna e tecnológica:

Um certo dia, um filho pergunta ao seu pai:
– Papá, como é que foi que eu nasci?
– Muito bem meu filho, chegou o momento de falar disso, pois então vou explicar o que deves saber:

Um dia, o pai e a mãe entraram no Facebook,fizeram amizade e ficaram amigos.

Depois o pai mandou um e-mail à mãe para se verem num cybercafé.
Descobrimos que tínhamos muitas coisas em comum e que nos entendíamos muito bem.
Quando não estávamos à frente do laptop, conversávamos no chat do BlackBerry.

E desta forma fomo-nos conhecendo e nos apaixonamos até que um belo dia decidimos partilhar os nossos ficheiros.
Metemo-nos dissimuladamente na casa de banho e o papá introduziu o seu Pendrive na entrada USBda mamã.

Quando começou o download dos ficheiros,demo-nos conta que tínhamos esquecido do software de segurança e que não tínhamos Firewall.
Já era tarde demais para cancelar o download e impossível de apagar os ficheiros. Assim foi, como aos nove meses…

…Apareceu o VIRUS!

PUBLICIDADE DE MEDICAMENTO


Creio que todos já viram nos consultórios dos médicos propaganda a medicamentos. Contudo, estou seguro de que esta é a melhor que  já vi… 


UM  PACIENTE ESCREVEU  POR BAIXO DE UM DOS INTERRUPTORES:

SE  A LUZ FICAR  ACESA MAIS DE 4 HORAS – CHAME O SEU ELECTRICISTA.   




por soproleve Publicado em Humor

Governo prepara-se para um dos mais graves ataques aos direitos dos trabalhadores

Intervenção de Jerónimo de Sousa na Assembleia de República 
Sexta 27 de Abril de 2012 


 No debate quinzenal na Assembleia da República, O PCP confrontou o Primeiro Ministro com o ataque feito aos direitos dos trabalhadores com as alterações à legislação laboral e a mutilação de direitos consagrados na Constituição da República Portuguesa.