ESTÁ TUDO BEM…

Hoje em dia diz-se mal de muita coisa, mas sem que seja dito onde reside o verdadeiro problema…
Sendo que este dizer mal, e a forma como é feito só vem beneficiar aqueles de que se diz mal e o aparelho implementado, que implementou aquilo de que se diz mal…

Podemos dar um exemplo concreto:
O regime implementado deixa que durante anos e anos uma determinada escola vá apodrecendo…
Este mal dizentes, limitam-se a dizer que a escola está a cair e que é perigoso, etc… etc…
Estes mal dizentes, deviam, era, denunciar que estão a deixar apodrecer determinada escola, para a seguir terem um pretexto para a fechar, pois irão alegar que essa escola não tem condições de segurança e que é preciso fechar…
E que este é “um meio de acabarem” com a educação pública….
Mas estes ditos “mal dizentes” ficam contentes só porque tanto alarido fizeram que a escola encerrou, pensam eles é claro, enquanto o sistema implementado esfrega as mãos de contente, pois fecharam uma escola, e assim sobra-lhes, ainda mais, dinheiro para o estado financiar os privados, e “os mal dizentes” deixaram de dizer mal, calaram-se… pois não lhes restam mais reivindicações, atendendo a que a única reivindicação era a escola estava a apodrecer… e se fechou para eles o problema ficou resolvido.
Enquanto aqueles que reivindicam que este sistema só está a dar cabo da educação pública, através do encerramento das escolas, escamoteados através de diversos pretextos, passam a ser os estúpidos…. Pois não havia razão para deixar-se uma escola apodrecida aberta; Fazer obras agora não compensa, pois ficariam muito caras…
Sendo que a definição de caro ficaria ao critério do sistema implementado, é claro.
Isto não acontece só com a educação, acontece com a saúde, a justiça, etc…
No que diz respeito à justiça:
Esses tais mal dizentes nem falam, pois acham muito inovador e de uma inteligência sobrenatural, andarem a construir edifícios para serem instalados os tribunais, em terrenos públicos. Pois a construção é feita à conta dos “bonzinhos” dos grupos económicos, ligados à construção civil…
Sim, à conta dos “bonzinhos”.
São estes grupos económicos que financiam e oferecem a construção dos edifícios nesses terrenos públicos.
Ai está porque são, cada vez mais, considerados grupos económicos com boas práticas para a sociedade, e merecedores de medalhas de grandes benfeitores para a sociedade Portuguesa.
E o que lucram com isto tudo, não é quase nada…
Ao longo vários anos recebem umas rendinhas mensais que oscilam entre 600 mil euros a um milhão, e após o prazo de por volta de 30 anos, ainda fazem o sacrifício de ficarem proprietários do edifício em causa e dos terrenos que eram públicos; Que eram um encargo muito grande manter como públicos, sim um encargo enorme…
Pois é, ainda por cima, ficam com um edifício que sofreu obras e manutenção feitas por eles, ou alguém familiar, e que foram pagas simbolicamente pelo estado, segundo os critérios do sistema implementado, e com acessória destes grupos “bonzinhos”.
Ainda dizem que não existem boas práticas e solidariedade em Portugal…
Desde que o dinheiro do estado não seja gasto na educação publica, na saúde publica, no apoio a quem mais precisa (através da segurança social), na verdadeira justiça… e seja gasto a financiar os negócios privados de quem mais lucra…

ESTÁ TUDO BEM
Anúncios

Presidenciais 2011

É necessário demonstrar que a alternativa não passa por mudar o disco, para de seguida tocar a mesma música. Musica que tem como fundamental o enriquecimento de meia dúzia, à custa da exploração de milhões.
É necessário que as consciências progridam, e deixem de pactuar com a exploração do homem pelo homem, utilizando argumentos que só são admissíveis para quem não faz da razão uma forma de estar para com os seus iguais, mas prefiram utilizar “os vendedores da banha da cobra” para escamotearem as verdadeiras razões dessas opções, e que mantêm a carneirada alinhada… mesmo quando essa carneirada faz sacrifícios e passa fome.
Todos os momentos são bons para denunciar este sistema e lutar contra ele, e o candidato do PCP às Presidenciais 2011, Francisco Lopes, é um excelente lutador.
Que seja alcançado o objectivo, que é o esclarecimento e a denúncia do sistema implementado, e os seus ideólogos.
Só assim o caminho actual poderá ser mudado…
  • Ver Declaração de Francisco Lopes, candidato à Presidência da República
  • Divulgar este estudo é combater a propaganda das petrolíferas para tornar "aceitaveis" os preços que cobram

    A GALP Energia divulgou em Julho de 2010 os resultados referentes ao 1º semestre. E segundo eles, os lucros da empresa aumentaram 91% no 1º semestre de 2010, relativamente ao período homólogo de 2009, o que é escândalo. E isto porque essa subida resulta, por um lado, de uma manipulação contabilística feita pela empresa para poder vender mais caro e, por outro lado, de preços superiores aos da maioria dos países da UE27. É isso que Eugenio Rosa prova no seu estudo.

  • Ver Estudo
  • Existe algo que está aqui ao contrário…

    Quando se defende e reivindica-se para que os médicos possam passar na privada exames comparticipados, existe algo que está aqui ao contrário…
    O que se devia reivindicar era o direito a ter-se assistência médica publica para todos, e quando é preciso.
    Devia-se exigir que houvesse condições nos hospitais públicos, nos postos de saúde, etc… para terem médicos suficientes, e pagos devidamente para os Portugueses possuírem condições de acesso a um bem fundamental que é a saúde…
    Quando se diz que os hospitais públicos gastam mais meios do estado, do que meter os Portugueses a recorrerem aos ditos hospitais semi-públicos e privados, é uma burla…
    Basta ver os subsídios que o estado paga a esses hospitais, basta ver o que o estado paga de contribuições a esses hospitais pelo atendimento dos Portugueses, basta ver o que a ADSE paga a esses hospitais, e muito mais…
    Por algum motivo, quando os hospitais, clínicas e outros privados não possuem acordos com o estado, estão às moscas… Ou seja existem privados, mas só existe porque o estado paga para eles existirem, e bem…
    Vejamos a ADSE, porque é que um utente da ADSE se for a um privado paga uma média de € 3,00 por consulta, mas se esse mesmo utente for a uma consulta de um hospital público paga € 6,00? É mesmo para afugentar estes e outros utentes para o privado…
    O que se deve exigir é meios para os utentes serem tratados devidamente, nos hospitais públicos… pois o estado poupa muito dinheiro.
    O que se está a passar é deixar a “casa a apodrecer” para depois acabar com ela dizendo que não existem condições de habitabilidade.
    Por algum motivo, quando alguém entra com alguma doença grave em um “hospital privado”, a seguir é logo transferido para um publico… pois as capacidades de tratamento são muito mais eficazes e tratamentos caros “nos hospitais privados” é para esquecer… pois estes existem para ganhar dinheiro, e não para “obra social”.
    Se acabarem os hospitais públicos, para onde enviam estes doentes? Para o cemitério de certeza…

    O GRANDE LIDER…

    Por vezes quando vou, descansadamente, nos transportes públicos fico estupefacto com o que as pessoas dizem, e parto do principio que pensam…
    Pessoas que elogiam à “boca cheia” outras pessoas que impõem politicas em benefício de quem explora estes mesmos “iluminados”, que proferem os elogios em causa.
    É motivo para dizer… pai perdoa-lhes as suas capacidades limitadas que são fruto dos teus erros…
    Para tristeza minha, existem trabalhadores que trabalham para sobreviver, e que pouco mais têm do que o suficiente para saciarem a sua fome… que contribuem através dos seus actos e palavras para a continuação da exploração de quem só possui a sua força de trabalho para sobreviver…
    São pessoas que já não sabem o que é viver, limitam-se a sobreviver… e no dia que tiverem oportunidade para viver morrem, porque já não sabem viver sem sofrer…

    Impostos: Mais-valias da PT baixavam défice

    Os comunistas fizeram as contas e se a Portugal Telecom pagasse impostos sobre as mais-valias pela venda da brasileira Vivo à espanhola Telefónica seria possível a descida de um ponto percentual no défice público. Quem o disse foi o deputado Agostinho Lopes, que condenou a “fuga ao Fisco” provocada pelos “buracos na legislação.”

    “A aplicação da taxa à mais-valia efectuada pela PT, os seis mil milhões de euros, permitiria obter qualquer coisa como 1290 milhões de euros, ou seja, o Estado podia, por esta via, descer o défice em um ponto percentual, de 9,2 por cento para cerca de 8,3 por cento”, afirmou o deputado.

    O PCP volta, por isso, a desafiar o Governo a usar a golden share que tem na PT, liderada por Zeinal Bava, para que “este dividendo extraordinário seja aplicado fundamentalmente em investimentos no território nacional e na amortização da dívida da empresa”.

    Já a Associação de Investidores e Analistas Técnicos do Mercado de Capitais (ATM) critica, em comunicado, a intervenção do Governo no processo de venda da Vivo, acusando o Executivo de ter pressionado a entrada da PT na Oi a um preço elevado”.

    4 AGOSTO 2010 (CM)